31 maio, 2013

Tapetes na Praça Padre Leão - Corpus Christi

Tapetes por toda extensão da praça Padre Leão.

Os tapetes de rua são uma tradição e manifestação artística popular realizada por fiéis da Igreja Católica, confeccionados para a passagem da procissão de Corpus Christi.

A tradição da confecção do tapete surgiu em Portugal e veio para o Brasil com os colonizadores. Os desenhos utilizados são variados, mas enfocam principalmente o tema Eucaristia. No Brasil essa tradição está sendo ampliada, atingindo inclusive comunidades, bairros e até Colégios (um exemplo é o Colégio Virgo Potens, em Guarulhos-SP, que desde 2009 realiza a confecção junto a materiais diversos e também foco na Sustentabilidade).

Para confeccionar os tapetes são utilizados diversos tipos de materiais, tais como serragem colorida, borra de café, farinha, areia, flores e outros acessórios.




Fotos: Nadilson Santos

29 maio, 2013

Custodiense coloca nome do pai em emissora Brasília FM na cidade de Oscar Bressane

Petrônio José Bezerra (camisa da Seleção)

Rádio Comunitária já está no ar, em fase de testes.

O município de Oscar Bressane deu um importante passo rumo ao mundo da comunicação. Já se encontra funcionando, em caráter experimental, a Rádio Comunitária 104,9 – Brasília FM. “Ainda estamos testando equipamentos e, por enquanto, transmitindo somente no período da tarde. Acredito que em 30 dias estaremos funcionando das cinco da manhã às 23 horas”, diz o comerciante e diretor da rádio, Petrônio José Bezerra (custodiense), 50. 

O nome da emissora é uma homenagem ao pai de Petrônio que relata que “ele gostava muito de política e resolveu me dar o nome de um famoso político piauiense, Petrônio Portela. Além disso, nasci no mesmo ano da inauguração da cidade de Brasília”. O meio de comunicação era um sonho antigo do comerciante, que conta que levou oito anos para conseguir a concessão. “A luta foi por um veículo através do qual a comunidade pudesse interagir e, ao mesmo tempo, receber informações, lazer e cultura”, completa.

A Brasília FM terá jornalismo, música sertaneja, programas voltados para o jovem e notícias das igrejas da cidade, além de acompanhar os trabalhos dos poderes executivo e legislativo do município. “Todos têm que ter espaço. O que pretendemos é divulgar a cultura e promover os trabalhos realizados em Oscar Bressane”, explica Petrônio. Quem quiser se comunicar com a rádio, o telefone é (14) 9703-7284.


Colaboração: Vanuzia Bezerra (irmã)
Publicado em: Jornal em Dia  (http://jornalemdia.com)

Prefeito Luiz Carlos e vereadores reivindicam providências na segurança pública da cidade


O prefeito Luiz Carlos, juntamente com os vereadores Gilberto de Belchior, Uilson Leandro e Rony Barbalho teve audiência com o Secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, para reivindicar algumas providências com relação à segurança pública em Custódia.

Acompanhado pelo deputado, Júlio Cavalcante eles pediram urgência pela nomeação de um delegado titular para o Município, que há mais de dois meses está sem delegado.

O vereador e 1º Secretário, Gilberto de Belchior entregou ao Secretário Damázio um Requerimento, aprovado em plenário, solicitando providências com relação a apreensão de armas, com registro na Polícia Federal. Os vereadores querem a suspensão imediata dessas apreensões, porque, o foco da política de desarmamento deve ser os bandidos e não o cidadão de bem, trabalhador, a maioria agricultores sofridos pela estiagem que castiga a região.

O governo incentivou e facilitou o registro de armas, fazendo com que o cidadão de bem registrasse sua arma, coisa que bandido nenhum o faria, alega Gilberto em seu Requerimento. Agora, na hora de renovar esses registros, o cidadão tem enormes dificuldades pela frente, como curso de tiro, psicotécnico, pagamento de taxas, viagens, coisas que o homem do campo, muitas vezes semianalfabeto não pode fazer. Muitos policiais, se aproveitando de informações privilegiadas (relação das pessoas com registro de armas), se dirigem as residências dos que têm registro, apreendem essas armas, trazem os proprietários delas para a delegacia, onde são autuados e têm que pagar fiança para não ficar preso.

Os vereadores ainda pedem, a suspensão dos inquéritos e uma mudança na forma das abordagens: Em vez de apreensão e detenção, os policiais, ao encontrar alguém com arma em sua residência, com registro vencido, que aconselhem essas pessoas a entregarem suas armas ou definam um prazo par a renovação do registro. Dessa forma, o bônus oferecido pelo governo ficaria com o proprietário que entregar sua arma e não com o policial.

O Secretário, Wilson Damázio destacou a política de desarmamento do Estado, mas deixou bem claro que a prioridade nesse momento não é desarmar o cidadão, mas o bandido e prometeu analisar todas as reivindicações e atender o que for possível, inclusive a que pede o fortalecimento da Patrulha Rural e a nomeação de um delgado.

O prefeito e os vereadores ficaram impressionados com a capacidade e a seriedade do secretário, que já foi superintendente da PF, onde também desempenhou diversas outras funções de destaque, a nível regional e nacional.

Blog Vereador Gilberto

28 maio, 2013

1º Concurso de textos temáticos do Blog Gandavos


O Blog Gândavos promove o concurso para a escolha de textos, com temática dirigida a uma ambientação em um espaço geográfico específico.

Os textos a serem criados deverão ser ambientados numa localidade conhecida por Brejo Santo (nome fictício), outrora um lugar próspero e que perdeu importância ao longo de décadas.

O lugarejo está localizado no Sertão de Pernambuco, entre as cidades de Verdejantes e Altamira, onde residem pouco menos de meia dúzia de famílias.

Acesse: Gândavos

Flama do Dnocs (1979)

Foto do jogo entre o Flama de Custódia 3x1 Sport Sertânia em 1979.


Em pé: Beto, Reginaldo, Marcos Ramalho, Nadilson, Eraldo, Zé Mané e Zé Pretin. 
Agachado: Lacet, Jailson pequeno, Brasilia, Natalicio e Adilson.


Arquivo Pessoal: Nadilson Santos

27 maio, 2013

III Arraiá da Custódia FM


Forró Pé de serra até amanhecer o dia com GEOVANE DO ACORDEON (Santana cover) e NENÊ DE ARCOVERDE .

Dia 15 de junho a partir das 22h no CLRC.

A festa junina mais animada e concorrida da região...E você não vai ficar de fora...

Junte sua turma e venham arrastar chinelas no salão...

Humberto Guerra - novela Duas Caras em espanhol

Novela Duas Caras em espanhol com cenas do ator custodiense Humberto Guerra.

Até dezembro de 2009, a novela Duas Caras havia sido vendida para 22 países. Foi um êxito na América Latina, com exibições simultâneas em diversos países. No Peru, chegou a ser a segunda novela mais vista em seu período de exibição, e a preferida entre as classes alta e média alta. No Equador, ocupou as primeiras posições nas grandes cidades e alcançou ser líder de audiência. Na Nicarágua, marcou 40 pontos em sua estreia e 60% de share. Em Portugal, após uma recepção monótona, a novela acabou realmente caindo no gosto do público. Teve êxito no Uruguai, obtendo índices de 24 pontos de audiência e 35 de share. Alcançou bom desempenho nos Estados Unidos, conseguindo ficar em segundo lugar no canal em que foi exibida e agradando principalmente as mulheres hispânicas entre 18 e 54 anos.


26 maio, 2013

Toninho Galdino volta a ser campeão


Mais um dia de superação, no Open Agreste de Jiu-Jitsu. I ETAPA. Campeão na categoria azul pesado!! Fui sozinho representar meus parceiros de equipe que não puderam comparecer, não podia decepcionar, agradeço à todos que acreditaram, incentivaram e me deram a força extra que eu precisava, mesmo distantes!

Competição ocorreu em Caruaru durante os dias 25 e 26, na quadra poliesportiva do colégio Municipal Álvaro Lins.

por Toninho Galdino

25 maio, 2013

Hoje tem Festival de Pizza no Macambira


Sexta feira foi de muita chuva em Custódia



Para alegria de muitos, a noite de sexta feira (dia 24), em Custódia, foi de forte chuva em quase todo município. A média registrada em vários pontos registraram média de 45mm. Segundo o site Climatempo, o dia de hoje será de Sol e aumento de nuvens pela manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.
 

7ª Pega de Boi no Mato do Sítio Malhadinha em Custódia - 15/06/2013



Apresentação do Pacto Nacional pela Alfabetização da Idade Certa


O Auditório da Secretaria de Educação do Município, recebeu ontem a presença de professores da rede municipal, para apresentação do Pacto Nacional pela Alfabetização da Idade Certa. O prefeito Luiz Carlos Gaudência e o vice Manuca participaram da apresentação, além da secretária de Educação Nerice Santos, e toda Equipe Gestora da Secretaria de Educação.



O SisPacto é o sistema de monitoramento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa disponibilizado no SIMEC (http://simec.mec.gov.br). Os principais atores envolvidos na execução das ações do Pacto terão acesso ao SisPacto, de forma gradativa. Neste sentido, é muito importante que você entenda que:

O acesso ao SisPacto foi disponibilizado, inicialmente, apenas para os Dirigentes de Educação com cadastro ativo no módulo do Plano de Ações Articuladas (PAR) e os Coordenadores locais. No primeiro trimestre de 2013, tanto os Orientadores de Estudo quanto os Professores Alfabetizadores também poderão utilizar esta ferramenta.

A substituição do Coordenador local só pode ser feita pelo Dirigente de Educação do município ou do estado cujo cadastro esteja ativo no módulo do Plano de Ações Articuladas (PAR), também no SIMEC. Para tanto, basta que ele(a) acesse o SisPacto e clique no símbolo , procedendo à substituição.

No caso dos Orientadores de Estudo, depois de concluir o cadastro no SisPacto e enviar para análise da IES, não é possível substitui-los.

Para saber mais sobre o módulo dos Coordenadores locais no SisPacto, clique aqui.

Festa do Mês de Maria da Maravilha


O Prefeito Luiz Carlos, junto com a Comunidade da Maravilha, convida Vossa Excelência e sua Digníssima família, para juntos celebrarmos com fé e alegria à novena dedicada à Maria mãe de Jesus. Hoje, (25) além da parte religiosa, à festa contará com um grande Show da Banda de Forró Nú Remoído patrocinado pela Prefeitura Municipal de Custódia.

Ascom PMC

Forrozão da 88 (Custódia FM) incentiva sanfoneiros locais

 Zé de Ilda Sanfoneiro
Orlando Sanfoneiro (Bairro Cruzeiro)
Eduardo Sanfoneiro
Fotos: Ferreira Campos

Todos os sábados,  das 5h às 7h da manhã, o programa FORROZÃO DA 88 da  Custódia FM, leva ao ar o melhor do forró, sempre com participações ao vivo de sanfoneiros da cidade e de toda região, tocando ao vivo nos estúdio da emissora. O programa é comandado por Ferreira Campos. A ideia do incentivo foi do próprio locutor e de Fábio Santos. Hoje graças ao programa, os sanfoneiros estão sendo reconhecido na cidade e por várias cidades vizinhas.

Passaram pelo programa: Eduardo Sanfoneiro, Orlando Sanfoneiro, Siqueirinha do Baião, Siqueirinha Jr, Inácio da Torre, Zé de Ilda, Zito Lourenço entre outros.

Acesse: www.custodiafm.com.br

24 maio, 2013

[Custódia-PE] Monumento aos soldados mortos - Coluna Prestes


Local histórico. Aqui houve um confronto da Coluna Prestes, com Forças da Polícia de Pernambuco em 1926. Localidade denominada Umburanas as margens da BR 232 à aproximadamente 17km da sede do município.

Mais detalhes sobre o confronto:


Aos heróis da Polícia Militar 

Publicado no Jornal do Comércio em 05 de Maio de 2008, escrito por Jorge Luiz de Moura.


No km 345, da BR-232, entre Custódia e o Sítio dos Nunes, existe um monumento branco, com a seguinte placa: “Homenagem da Polícia Militar de Pernambuco à memória dos seus heróis que, em 14/02/1926, aqui tombaram no cumprimento do dever, combatendo a Coluna Prestes”.


Mas, que combate foi aquele ocorrido há mais de 81 anos?

O combate em si, foi uma grande armadilha urdida pelos oficiais da Coluna Miguel Costa-Prestes, seu nome correto, tenentes-coronéis Djalma Dutra e João Alberto. (Livros: A coluna prestes, de Neill Macaulay, página 205, e o Cavaleiro da esperança, de Jorge Amado, página 149). Assim, os rebeldes dessa Coluna (que estavam na área esperando uma ligação com o tenente Cleto Campelo, que acabou falecendo em Gravatá), haviam interceptado nos fios do telégrafo, uma mensagem sobre o deslocamento de Custódia para Vila Bela (Serra Talhada) de uma tropa da Força Pública de Pernambuco, de 137 homens, transportada em cinco caminhões dos efetivos dos 1º, 2º, 3º Batalhões, Regimento da Cavalaria e Companhia de Bombeiros, (Boletim Geral da Força Pública, de 12 de fevereiro de 1926), sob o comando do coronel João Nunes, comandante Geral. No terceiro caminhão, vinham o tenente da PM José Coutinho da Costa Pereira, no quinto, o tenente da PM Olímpio Augusto de Oliveira e o capitão Luiz Sabino de Azevedo e, na retaguarda, o comandante João Nunes, em automóvel.

Na localidade Umburanas ou Imburanas, os rebeldes arquitetam uma emboscada, colocando na estrada um chapéu de tipo engenheiro, de cortiça, como isca! Por volta das 9h de 14/02/1926, (domingo de Carnaval), um soldado mandou parar o veículo para apanhá-lo. Em seguida, todo o comboio parou. O coronel João Nunes, vinha à retaguarda, em companhia, do seu secretário, tenente Sidrak de Oliveira Correia e outros oficiais. Imediatamente, dos serrotes laterais, surgiram os fogos cruzados das metralhadoras inimigas, ceifando a vida de inúmeros soldados.

Após seis horas de combate, o coronel João Nunes, ao escurecer, conseguiu romper o cerco dos rebeldes, (em número quase cinco vezes superior, e entocados) rumo à Custódia, perdendo quatro dos cinco caminhões, que foram queimados. No dia seguinte, em Custódia, a tropa, reorganizou-se e partiu ao encalce da força rebelde (História da PMPE – major da PM Roberto Monteiro, página 78, e revista APMP 1985 – página 10). A munição que se achava no quinto caminhão, que regressou a Custódia com o capitão Luiz Sabino de Azevedo, não foi perdida (Jornal A Província, de 27/02/1926, e Diário de Pernambuco de 27/02/1926).

De acordo com o Boletim Geral da Força Pública, de 12 de março de 1926, morreram oito soldados: Isídio José de Oliveira, (2º Batalhão), Castor Pereira da Costa, Ercias Petronillo Fonseca e Manoel Bernardino Fonseca (Regimento de Cavalaria), José Sebastião Bezerra, Pedro Cosme Alexandrino, Antônio Cassemiro Ferreira e Luiz José Lima Mendes, (Companhia de Bombeiros). (Livro: Epopéia de bravos guerreiros – Jorge Luiz de Moura e Carlos Bezerra Cavalcanti). Os feridos foram três soldados, Amaro do Espírito Santo e Benevenuto Cardoso Silva, (do 2º Batalhão) e Severino Lino dos Santos, (do Regimento de Cavalaria). No mencionado Boletim, o comandante João Nunes enaltece suas bravuras e sacrifícios no campo de luta, em defesa da legalidade.

Aqueles soldados foram sepultados no local, numa cova única, à beira da estrada, de acordo com o major da PM João Rodrigues da Silva, em artigo publicado na Revista Guararapes, em janeiro de 1950, – Os mortos do Riacho do Mulungu, onde assinala que pela voz do povo, o número de mortos se eleva a mais de 40 praças. Esse monumento foi construído durante o Comando Geral do Coronel Manoel Expedito Sampaio, em 1961 (Informação do coronel Cícero Laurindo de Sá).

Na fria placa de mármore, ficou o registro da reação daqueles heróis, que precisam ser lembrados e nominados todos os anos, àquele 14 de fevereiro de 1926, pois, transpuseram os umbrais da glória e precisam ser inseridos nos anais da grande história da PM e de Pernambuco.

» Jorge Luiz de Moura é coronel e ex-comandante-geral da PMPE.

Sertão Sangrento: Luta e Resistência
Jovenildo Pinheiro de Souza
(custodiense)

Umburanas é uma localidade perto de Custódia, em Pernambuco, onde a Coluna Prestes travou o combate mais importante, quando da passagem por este Estado. O combate foi travado no dia 14 de Fevereiro (primeiro dia de Carnaval) de 1926, era, então, Governador do Estado, Sérgio Loreto. A tropa pernambucana era composta de cerca de 200 soldados, comandados pelo “célebre Coronel João Nunes, velho perseguidor de Lampião”.

Era, portanto, conhecedor da região e afeito à dureza dos combates nas caatingas.

Vale salientar a opinião de outro célebre oficial militar, sobre o colega de farda, o Coronel João Nunes. Segundo Optato Gueiros, que foi também por muitos anos Comandante das Forças Volantes contra o cangaço, “o único comandante da tropa que, de fato, cometeu desatinos, foi o Coronel João Nunes. Não tivesse ele mandado fuzilar os pobres rapazes gaúchos que caíram prisioneiros nas mãos das tropas legalistas em Floresta, em Nazaré, e determinado que se acabasse de matar um pobre revoltoso, que, além de ferido estava tuberculoso, e se achava moribundo em Campo Alegre, não teria a polícia de Pernambuco adquirido por algum tempo a fama de perversidade …”

Em Umburanas a Coluna Prestes preparou uma emboscada e na qual caiu a tropa sob o comando do Coronel João Nunes. Diante da surpresa e do poder de fogo por parte dos revoltosos, a tropa legalista bateu em retirada, desordenadamente, perdendo no campo de batalha uma grande quantidade de material bélico, além de ter perdido um quarto do seu efetivo militar, entre mortos e feridos.

O Coronel João Nunes já tinha tido a oportunidade de contatar a Coluna, no sul do Estado do Piauí, quando enfrentou o destacamento comandado por Siqueira Campos. Nesta ocasião, João Nunes saqueou e incendiou a cidade de Valença.

Em Umburanas, o Coronel João Nunes teve o seu Waterloo. Segundo descreve Moreira Lima, “à frente dos fugitivos corria o Coronel João Nunes que abandonou seus comandados em pleno combate, com um mísero poltrão, e gastou dois dias para alcançar Custódia, a três léguas de distância, onde chegou ‘arrazado’, a pé e com a roupa estraçalhada pelos espinhos da caatinga”
40.

(14)Anos depois, em 1930, esse veterano perseguidor de Lampião, já aposentado da Polícia Militar de Pernambuco desde 1927, foi aprisionado por Lampião, quando repousava na fazenda Sueca, de sua propriedade, em Águas Belas, Pernambuco.

Disponível Clicando Aqui

Crítica do site Nação Cultural sobre o livro

Primoroso trabalho de Jovenildo Pinheiro de Sousa, Sertão Sangrento – Resistência e Luta, aborda o cangaço sobre as luzes da História Social e se apropria dos elementos epistemológicos para fundamentar as origens do cangaço, fenômeno social que envolveu os sertões nordestinos do final do século XIX a década de 40 da centúria seguinte e que não teve apenas um motivo determinante para seu início como muitos afirmam.

Longe das abordagens autodidatas e factuais que envolveu o tema do cangaço por todo século XX, e sem se preocupar em questionar se cangaceiro é bandido ou herói, Sertão Sangrento – Resistência e Luta tem bases fincadas em sólido instrumental teórico ao abordar tema de tamanha complexidade como o cangaço e seus desdobramentos.

Publicação com incentivo do Funcultura, Secretaria de Cultura e Governo do Estado de Pernambuco, Sertão Sangrento – Resistência e Luta é consequência de uma pesquisa realizada por Jovenildo Pinheiro, na área de História Social, para obtenção do título de Mestre em História, pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.


Lidia Belo filha de um Custodiense




Lidia Belo (filha do Custodiense Carlos Augusto Belo) no VII Festival de intérprete da UFPA.

No primeiro vídeo, um ensaio com o artista Dieguito 7 cordas.

Enviado pelo tio Joaquim Belo

Zedesaías - por Neide Campos


José de Siqueira Campos, mais conhecido como Zédezaías, primeiro filho do casal Izaías de Queiroz e Dona Francisca Campos. Inteligente podia até se dizer um intelectual tanto na parte de eletrônica como letrado.


Teve vários filhos, casou com a jovem Edite da qual nasceram os filhos: Rute, Francisca (Chiquinha), Paulo, Marcos, Josedite (Dodó) e Sara. Nasceu em Custódia no dia 08 de janeiro de 1917. Faleceu em casa no dia 10 de Outubro de 2004.

24 de Maio dia Nacional do Cigano



Comemorado pela primeira vez no Brasil em 2007, o Dia Nacional do Cigano foi instituído pelo presidente Lula em maio de 2006 através da assinatura de um decreto. O dia 24 de Maio foi escolhido como o Dia Nacional do Cigano por ser o dia dedicado à Santa Sara Kali, padroeira universal dos ciganos.

Originalmente chamado de Rhom, o povo cigano está presente em todas as nações do mundo, mas estudiosos afirmam que suas origens estão na Índia Antiga.

Conforme o presidente Lula, a regulamentação do dia vem reconhecer a importância da etnia cigana na formação da história e da identidade cultural brasileira.

(Língua Grande Cultural)

23 maio, 2013

Miss Custódia 2013 - Annyelle Simões



A representante de Custódia no Miss Pernambuco 2013 chama-se Annyelle Simões. A nutricionista Karol Araújo participará também do certamente estadual atuando em sua área profissional. Modelo da agência Renna Model.

Fonte: Flávio Júlio e Blog Miss Pernambuco

Grupo Luar do Sertão apresentando influências africanas


Ritmo afro nas danças representadas pelo grupo Luar do Sertão. A influencia africana presente em nossas raízes é tema escolhido pela valorização e preservação da historia e da cultura brasileira.



Praça Padre Leão - Custódia /PE 
17.05.2013

O beco do Iraque - por Francisco Leandro



Foi omitido, talvez por esquecimento, o beco mais famoso e mais conhecido da cidade: o Beco do Iraque. Esse nome surgiu no final dos 70's, acredito eu, em alusão às guerras no oriente médio, mais precisamente, entre Irã e Iraque.

Conta-se que neste beco, as brigas entre moradores eram constantes e, por não possuir um nome próprio, deram-lhe o nome de Beco do Iraque. Daí a localidade foi sendo povoada vertiginosamente e passou a condição de bairro, então deram-lhe o nome de Bairro do Iraque.

Anos depois, mudaram-lhe o nome para Bairro da Redenção.
Bom, o restante fica para quando for contada a origem dos bairros de Custódia.

Por Francisco Leandro de Morais

Paulino "Caititu" - por José Melo


Parece que estou vendo aquela cena, repetida tantas e tantas vezes, à beira da cacimba, escavada as margens do Riacho Custódia. A longa fila de latas, a meninada pintando o sete, as “ botadeiras d’ água” fofocando, enquanto aguardavam a vez de encherem suas latas da água que serviria para beber nos lares da cidadezinha que mal acordara. A grande maioria dos meninos vinha buscar água, em pequenas carroças improvisadas de caixotes, para o consumo doméstico, pois a água do Banheiro, como era chamado o chafariz público, era imprestável para beber, pelo alto teor de sal. Além deles, as “botadeiras”, com suas rodilhas e latas que equilibravam com maestria na cabeça, e alguns homens que ganhavam algum dinheirinho abastecendo os lares mais abastados, com seus galões, equipamento composto de duas latas dependuradas por cordas em um pau – pau-de-galão, que eles carregavam sobre os ombros.

Entre estes, um era a diversão da garotada. Paulino, caboclo de pele curtida pelo sol, que tinha uma mão deformada, conseqüência de um acidente em um equipamento das antigas fábricas de Caroá. Equipamento esse que era conhecido por Caititu, o que rendeu a Paulino esse apelido, que ele detestava e quando algum garoto gritava esse nome próximo dele, ele ficava literalmente louco. Jogava pedras, paus, o pau-de-galão, a cuia, o que estivesse próximo servia de arma.

Nessas ocasiões eram comuns as brigas entre os usuários da cacimba. Um dos motivos de constantes brigas, era o desaparecimento de cuias, que serviam para captar a água da cacimba e levá-la para a lata. Numa dessas, um gaiato botou a culpa do desaparecimento da cuia em Paulino e ele ganhou mais um apelido: “Ladrão de Cuia”. Não se sabe com qual apelido ele se enfurecia mais, se “Caititu” ou “Ladrão de Cuia”. Qualquer um dos dois era motivo para carreiras, pedradas atiradas a esmo, gritos enfurecidos, xingamentos às pobres mães dos trelosos garotos. Muitas vezes, não satisfeitos, eles seguiam Paulino, e em cada esquina gritavam os apelidos, corriam, se escondiam e esperavam ele se acalmar para em seguida voltar a provocar o pobre coitado.

E assim viveu Paulino até o dia em que o progresso acabou com a profissão dos
“botadores d’água”: a chegada da água encanada encerrou aquele ciclo de vida em Custódia. E Paulino ficou na dependência de familiares até que o advento da aposentadoria do trabalhador rural trouxe para Paulino – acredite a sorte e o azar. A sorte porque ele pode viver durante algum tempo independente, com seu dinheirinho próprio para se manter. Azar porque a mesma aposentadoria que lhe dava o sustento, fez com que numa madrugada após o dia do pagamento do FUNRURAL, seu corpo aparecesse estirado sobre seu sangue numa ruela escura da cidade, vítima da violência que o progresso trouxe. Segundo dizem, foi morto pelo dinheiro da aposentadoria.

Texto: José Soares de Melo

22 maio, 2013

Câmara de Vereadores aprova Lei que proíbe capacetes em locais públicos e instalação de câmeras filmadores em agências bancárias


Câmara Legislativa aprova Lei que proíbe entrada com capacete em locais públicos e instalação de câmeras filmadoras em agências bancárias do município de Custódia

Com o intuito de contribuir para a segurança no município de Custódia, a Casa João Miro da Silva aprovou o Projeto de Lei n° 004/2013 que versa sobre a instalação de câmeras filmadoras de vídeo na área externa de agências bancárias e o Projeto de Lei n°005/2013 que proíbe a entrada ou permanência de pessoas utilizando capacetes, qualquer outro tipo de cobertura ou máscara que oculte o rosto, nos estabelecimentos comerciais.

Por iniciativa do vereador, Wilson Bezerra (PCdoB), os Projetos de Lei visam um tema de grande relevância que é a segurança pública. “Vivenciamos um momento de grande tensão. Diariamente tomamos conhecimento de violências, assaltos e crimes praticados por pessoas que se utilizam do fato de estar com capacetes ou vestimentas que impedem a sua identificação. Então apresentamos estes dois Projetos de lei para combater a violência e preveni-la”, contou o vereador.

Por unanimidade da Casa, os dois Projetos apresentados foram aprovados e aguardam somente a sanção do Chefe do Executivo, Luiz Carlos Gaudêncio, que vai seguir para publicação, tornando-se lei de fato e de direito.

Ascom Wilson Leandro

Vereadores de Custódia aprovam projeto de Lei do vereador Cicinho


EMENTA: Cria-se o Dia Municipal do Vaqueiro, como também o circuito de pega de boi, do Município de Custódia e dá outras providências. O Excelentíssimo Senhor Vereador CÍCERO RODRIGUES DE ALMEIDA, usando das atribuições que rege o Regimento Interno da Casa João Miro da Silva, e a Lei Orgânica Municipal, leva ao Plenário do Legislativo Municipal, para apreciação e posterior aprovação dos Nobres Parlamentares, o seguinte Projeto de Lei do Legislativo: 

Art. 1º - Fica acrescentado no calendário Oficial de Comemorações do Município de Custódia, Estado de Pernambuco, o “Dia 02/08 de cada ano, como o “DIA DO VAQUEIRO, como também o CIRCUITO DE PEGA DE BOI” . 

Art. 2º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. 

Art. 3º - Revogam-se as disposições em contrário. Sala das Sessões Legislativas da Câmara, em 15 de maio de 2013.

CÍCERO RODRIGUES DE ALMEIDA – CICINHO
VEREADIR - PROJETISTA

Tomei a iniciativa de apresentar este projeto de Lei, Homenageando todos os vaqueiros do Município de Custódia, com a intenção honrosa de manter a tradição dos nossos homens sertanejos, como também a pega de boi, que vem intensificando cada vez mais. E, em especial faço uma homenagem a um senhor filho de nossa terra que apreciava essa função rural, que é o filho de seu Pedro Rafael de Siqueira e a Senhora Dona Delícia de Siqueira, que relutou por esta Casa de Lei, dois de seus filhos também, tem diplomas nesta Casa de Lei, um deles já presidiu o Plenário desta Câmara, e em especial a Urbano Rafael de Rezende ex- Vereador, apresento esta proposição para que o dia do Vaqueiro, seja Lei Municipal no Dia 02 de agosto, ele teve sua infância na zona rural ajudando a seus pais, sempre sobre o lombo de cavalos como vaqueiro, ajudou na padaria que antes era de seus pais, mais adiante entrou como estagiário no Banco do Brasil, foi funcionário concursado do banco. Foi vereador do município de Custódia, mais sempre com suas atividades no campo envolvido nas atividades diárias do vaqueiro nordestino. Concluiu o Vereador.

Fonte: Custodia News

Custódia: 18 anos sem seu líder político Luizito



Há 18 anos morria um dos mais ilustres políticos de Custódia, o nosso grande líder Luiz Epaminondas Filho (LUIZITO). No dia 22 de maio de 1995, Custódia se sentiu órfão: o seu líder estava morto. E mesmo os seus oposicionistas, os que lhe combatiam as idéias, es formas de agir, sentiram naquele momento um espaço vazio no município. Era a ausência do dinamismo, da força, da inquietação, da combatividade, que caracterizam o grande homem público.

Naquele dia triste de maio, o povo custodiense que o acompanhou em tantas jornadas, levarão o grande líder Luizito à sua última morada. O toque de silêncio, em honra do grande líder Luizito , foi cortado pelas lágrimas que escorrem no coração do povo custodiense.

Assisti ao seu funeral! E quando o túmulo foi selado, podia-se ver sobre seu túmulo não só as elegantes belas grinaldas de flores deixadas por autoridades e amigos, mas muitos ramalhetes humildes oferecidos por admiradores e correligionários.

Ninguém irá, nunca esquecer o nome do grande homem público Luizito, que ficou conhecido em todo o estado de Pernambuco pelo seu trabalho político como o trator do sertão.

As lágrimas que por ele foram derramadas serão, hoje e sempre, a prova de amor por um homem que nunca se constrangeu diante de missões as mais espinhosas e nunca recuou perante um cargo que fosse digno ou viesse a dar-lhe oportunidade de fazer algo por seu povo e pela sua terra: Custódia a Rainha do Moxotó.

Que orgulho Custódia tem do saudoso governante, que dirigiu nossos destinos e foi uma honra para nossa terra. Mas, infelizmente, a vida é assim, a morte é a estação final de todos. Feliz o que sabe se consagrar na eterna lembrança dos que ficam e que jamais o esquecerão: pelo que foi e pelo que fez, ninguém deixará, jamais, de lembrar o cidadão, o homem, o político, o eterno prefeito de Custódia, Luiz Epaminondas Filho. 

O grande líder LUIZITO.

JULIANO OLIVEIRA

21 maio, 2013

Produtora Insanos! parabeniza programa Eu Quero é Rock


Ontem, 20/05, exatamente as 20:12 horas a emissora de rádio Custódia FM 88.5 transmitiu o primeiro programa alternativo da cidade. Posso estar enganado, mas o “Eu quero é Rock” – título do programa que será mais um instrumento para culminar o bom e velho ROQUENRROL por aqui e ajudar a firmar a cena alternativa – é o primeiro programa exclusivamente alternativo da região do Sertão do Moxotó.

E se alguém tinha dúvidas, o mesmo foi um sucesso. Parabenizo aos insanos Alison Alcântara e Paulo Peterson, culpados por essa conquista. E boto pilha! Olha a responsabilidade de conduzir algo direcionado a um público mais crítico!

Então, é isso, fiquem ligados que doravante as segundas-feiras não serão mais as mesmas!

Só sei duma coisa:
– Eu quero é Rock!

Augusto Moraes (Insanos Produções)

Logo do Programa - By Alison Alcântara

Luar do Sertão comemora dia da Diversidade Cultural - 21 de Maio



O Grupo de Danças Luar do Sertão estende a comemoração dos seus 11 anos levando a "diversidade" do seu trabalho às escolas . Palestra, mostra coreográficas e documentário serão exibidos aos jovens alunos. Hoje às 17h apresentação no Centro Educacional Alcindo Amador em Custódia

Fotografia da Solidão - por Daniel Feitosa


De logo já se via o jardim, provido de flores murchas, um banco de balanço branco, já um pouco desgastado, deixando-se embalar pela brisa matinal. Um caminho de pedras cravejadas que seguia desde a calçada até a entrada. Uma escada de poucos degraus dava acesso ao alpendre muito bem desenhado, com detalhes outonais encravados nas pilastras. Logo adiante, a porta – de comprimento e largura avantajados, composta de uma parte em vidro e outra de madeira de lei.

Por dentro, a figura residencial colonial rústica, as paredes cobertas de uma cor já sem muita definição, que deixava transparecer a longevidade embarcada pelo tempo. Era uma casa, mas não uma casa qualquer. Ali tanto se viveu, como também tanto se morreu. Foram longos verões, infindáveis invernos e muitas resenhas a definhar.

Uns poucos retratos figuravam sobre um móvel de madeira – o único que ainda havia ali, já aos cacos. Em cada imagem, numa força de expressão espantosa, as figuras humanas, em seus humildes trajes surrados por tantas secas, transpareciam suas marcas de expressão lapidadas pela amargura. O acervo de uma época em que vidas retratavam a vida em branco e preto. Resistindo à poeira, às numerosas teias de aranha e ao brusco efeito das horas, eram como os componentes vivos que ali viviam, intactos e eternos.

Os quartos escondiam os gritos abafados de misericórdia, num zumbido inconstante, entre soluços e palavras alternadas que desembocavam no corredor e se perdiam na escassez de ar que ali circulava. No chão, os resquícios de lágrimas derramadas eram representados pelas marcas escuras de mofo. E nos cantos, a presença fiel dos tocos de vela, com as pontas dos rastilhos inteiramente carbonizadas.

A luminosidade rara ali enfocada era explicada pela ausência de janelas. Havia apenas uma, disposta num pequeno ambiente, formatando a retangular entrada do vento brando e seco. Numa respiração ofegante, o ar e a luz disputavam espaços apertados para adentrarem o esquálido recinto.

Tudo estava a se manter inerte, entregue aos caprichos do estado atmosférico, estaticamente exposto aos desígnios naturais. Um pedaço de chão, entre paredes e sobre um teto abarroado, marcado pelo destino dos seus antepassados habitantes. Um vazio cheio de conteúdo, contendo a marca registrada daqueles que viveram sem ter vivido, num espaço cerceado de flores ávidas por florescerem, fez o cenário cruelmente perfeito à fotografia da solidão.

Autoria: Daniel José Feitosa Santos

Sr. Izaías de Queiroz Amaral


Batizado de Izaías Neto com 2 meses de idade, no mesmo dia o neto Humberto completou 10 anos. Detalhe para Zé de Biá e banda participando da festividade.





Foto tirada com seu Izaías de Queiroz Amaral e os filhos de Niralda, Nilda e Neide no dia do seu aniversário de 79 anos de idade, em 1963. Logo atrás pode-se conferir um pedacinho do 1º andar da Farmácia Pereira, as residências e comércios vizinho, e logo acima, a esquina da rua Luiz Epaminondas, onde tinha uma loja de Tecido de Zé Vicente (*)


(*) Zé Vicente, era procurado pela justiça de Lagoa dos Gatos, chegou fugido a Custódia a foi apresentado a todos como sendo irmão de Manoel do Curtume. Para sobreviver, começou a “fabricar” um conhaque de alcatrão, cujo nome era SEU JOÃO DA FARRA, que vendia nas bodegas. Manoel do Curtume, que foi casado com Dulcilia Florencio, tinha uma única filha do primeiro casamento. Jandira,um doce de criatura, uma mulata com 1,80 de altura, muito bonita e era o desejo de consumo de muitos marmanjos. Jandira casou-se com Manoel, da família Bernardo. Hoje viúva, mora em Caruaru. Portanto, Zé Vicente nunca foi genro de Manoel do Curtume.

Fernando Florencio

20 maio, 2013

Custodiense é manchete no Diário de PE - Caminhada de Santiago de Compostela

Preparando o caminho


No Recife, um braço da Associação dos Amigos do Caminho de Santiago de Compostela reúne antigos e futuros peregrinos que se interessam pelo mítico percurso em direção à cidade espanhol.

“Você está se relacionando bem com o seu corpo?”, é a primeira pergunta que faz a anfitriã, a arquiteta Fátima Ananias, 57 anos. “Você precisa sentir os seus pés, pisar bem com o sapato, o tênis ou a bota. Ter essa consciência é fundamental”, ensina. É domingo e o sol já está prestes a se pôr. Próximo ao Parque Dona Lindu, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, um grupo se reúne uma vez por mês no sexto andar de um edifício residencial. A conversa vai bem mais longe: Santiago de Compostela, na região da Galícia, noroeste da Espanha. Onde chove muito no outono e no inverno. Por vezes, também na primavera. O céu nublado é o pano de fundo na maioria das fotografias tiradas pelos turistas que visitam o mais famoso município galego.

Neste domingo, o funcionário público Marcelo Burgos(filho de Noêmia Pereira Burgos e José Pereira Burgos), 58 anos, deve estar cruzando alguma cidade espanhola, pela via urbana, por uma trilha no meio da mata ou por um lamaçal provocado pelas chuvas do verão. Ele vive um tempo de mudança: está se aposentando. Viu na viagem a chance de uma autoanálise. “Minha esposa queria ir comigo pra passear, mas esse não é o foco. Expliquei a ela que é um objetivo particular”. Serão 30 dias na versão francesa do caminho, nos explicou Marcelo poucos dias antes de embarcar para Madri, de onde pegaria um trem até Pamplona e seguiria de táxi para Saint-Jean-Pied-de-Port, no sudoeste da França, onde tem início o caminho francês, a rota mais tradicional até Santiago. “Preciso encarar esse desafio”. O funcionário público entrou em contato com a Associação Amigos do Caminho de Santiago há um ano e meio. “O físico, preparei nas corridas que faço nos fins de semana. Mas a cabeça, só acalmei nos encontros que acontecem no apartamento de Fátima”.

Não existe uma regra para se percorrer o Caminho de Santiago. Mas associações, reunidas na Federação Espanhola de Associações de Amigos do Caminho de Santiago, dão dicas e conselhos para quem pretende fazer a viagem. O braço recifense se desenha nos encontros na Rua Setúbal. Antes de viajar, em 2001, Fátima já mantinha contato com integrantes das associações do Caminho de Santiago de Compostela no Brasil, com sedes oficiais no Rio de Janeiro e em São Paulo (reconhecidas pela Junta de Castilla y Leon e pela Junta de Galicia, vinculadas à Federação Espanhola de Associações). Depois que voltou, passou a interagir com mais regularidade com os Amigos do Caminho. Até que surgiu o convite para ser uma representante dos associados no Recife.

Em 2006, Fátima fez de sua casa um espaço para dar conselhos aos futuros peregrinos e trocar experiência com quem já percorreu pelo menos uma das 26 rotas oficiais listadas no portal online Mundi Camino. Assumiu, também, a responsabilidade de entregar aos viajantes que a procuram a credencial que a Catedral de Santiago de Compostela disponibiliza. “É como um passaporte que serve para ser carimbado nos albergues em que o peregrino dorme durante o trajeto. Se você completar os últimos 100 quilômetros a pé até Santiago, a credencial lhe dá direito a uma Compostela, espécie de certificado por ter concluído o trajeto”, explica. “O Caminho é mágico. É quando você vê que a utopia é possível, por mais paradoxal que isso seja. Gente do mundo todo, falando línguas diferentes, se entendendo”. Assim como Marcelo, a advogada partiu de Saint-Jean-Pied-de-Port, última cidade francesa na fronteira com a Espanha. Demorou 12 horas para atravessar os Pirineus e andou 33 dias até completar os quase 800 quilômetros do Caminho Francês. Como resultado, uma epifania. “Recuperei a fé no ser humano. Vivemos em um mundo cão, mas percebi que o homem ainda vale a pena”.

Link Matéria: Caderno Aurora

Atleta de Jiu-Jitsu divulga Blog Custódia


Atleta Emerson Tadeu popularmente conhecido como "Esquerdinha", da Academia Nova União de Custódia, leva em seu Kimono em competições de Jiu-Jitsu no Estado e no nordeste a marca do Blog Custódia Terra Querida.

Valeu Esquerdinha por divulgar o Blog Custódia!!!

Inauguração do Parque Aquático Fazenda


Confirmado para o dia 26/05 a inauguração do PARK AQUÁTICO FAZENDA... 

ENCONTRO DE PAREDÕES E O MELHOR...
ENTRADA FRANCA PRA AS MULHERES! 

Leve seu som e venha tomar um banho de alegria!

Custódia dos meus amores - Emilson Pires


Viajei. Lendo o livro “Foi Assim”, do ilustre conterrâneo Fernando Florêncio de Souza, viajei. Passeei pela Pça. Pe. Leão onde joguei muito pião com Arnaldo Burgos; joguei sinuca no Bar Fênix; brinquei os primeiros carnavais e dancei o ‘besame mucho’ no Centro Lítero Recreativo da Custódia, ao lado do Bar Fênix, inventado pelos rapazes da elite da época, entre eles Silvio Carneiro, Ernestinho, Pedrinho, Xandinha: estudei latim na 1ª turma do Ginásio Estadual Pe. Leão, onde, juntamente com o Totonho levei uma reprimenda federal do Professor de Matemática, História e Diretor do estabelecimento, Dr. Francisco de Sá Sampaio, então Juiz de Direito da Comarca.

De lá passei na Rua da Remela, descendo um pouco mais lembrei da zona do baixo meretrício onde me fiz macho entre as ‘Marias,  Clarices e Helenas’; visitei a antiga Farmácia “São Jorge”, de papai, do lado de baixo da Praça, onde joguei muito futebol de botão com Betinho, Dirceu e outros meninos da época, tínhamos orgulho de nossos times feito por nós mesmos de coco, de botões de capa de frio que furtávamos dos romeiros em frente a casa de vovô Samuel, na rua da Bomba. Juntamente com Zezito Caju, em sua bodega, ajudei a Zé Melo no fazimento de um jornalzinho à mão, em papel de embrulho que ficava sobre o balcão (onde Zezito servia doses de cachaça com vermute aos feirantes), preso sob um peso pra não voar, o vento não perdoava. 



Era bom ouvir o Hermes dizendo palavras novas que às vezes não sabia o significado e imitando na impostação da voz o Cauby Peixoto. Antes de visitar o Cemitério, onde estão os restos de parte importante dos meus maiores, revi os becos de Custódia: o beco de Pedro Rafael e o de Valentim, onde ao lado se encontrava a farmácia nova de papai e aos fundos o serviço de auto-falante de Adamastor com a locução inesquecível de sua irmã -“com este prefixo musical encerramos nossas atividade...” ouvíamos os dramalhões de Vicente Celestino, a Boemia e Deusa do Asfalto na voz de Nelson Gonçalves, até A Carta do brega Waldick Soriano, e os convites para sepultamento era feito com a trilha sonora de “Ave Maria” de Schubert; Depois veio o serviço de alto-falante do PTB de Zé de Chico.

Na Várzea tomávamos banho no Chafariz. Chupei umbu, comi quebra queixo e tomei rapadinha com essência de baunilha na feira; sorvi o melhor sorvete do mundo, na sorveteria do Xandinha e de vez em quando tomava um cafezinho no Hotel de Izabel. Inesquecível também era o doce de leite de Diva (‘vixe’ Maria, só de lembrar dá água na boca)... No final veio as lembranças tristes dos momentos de angústias, de incertezas e de stress culminando com a necessária melancólica partida...

Terminei de ler o livro e, numa agradável coincidência, conjuntamente com meus irmãos, filhos, netos, sobrinhos, genros, noras e amigos do peito que compõem o Grupo “Pídio Véi” (homenagem a papai), fui a Custódia em férias. Como num vídeo tape, procurei “as mesmas coisas que deixei”, mas lá não mais  estavam, nem os amigos estavam mais lá. Custódia mudou, penso que mudou pra melhor, cresceu, ta bonita, a fábrica de doces de Gerson Gonçalves, a “Tambaú” hoje é um complexo industrial de dá inveja a cidade grande, simbolizando, naturalmente, o engrandecimento da cidade, nela mesma, sem contar com os projetos governamentais: ferrovia e  transposição do São Francisco,  “o Velho Chico”, que farão de Custódia uma referência no sertão pernambucano. Fiquei orgulhoso e em vários momentos tanto eu como toda a comitiva chorou de alegria e emoção.

por Emilson Pires de Souza - Micim
ibra.elzira@gmail.com

Missa do Vaqueiro na Festa de Santa Rita no Distrito de Quitimbu.


Durante a Tradicional Festa de Santa Rita  no Distrito de Quitimbu, foi a realizada a Missa do Vaqueiro, celebrada pelo Pe. Roberto Luciano. O prefeito do município Luiz Carlos Gaudêncio marcou presença ao lado de sua equipe de governo, e dos vereadores Nidinho de Biu e Paulino Avícola. 

Para visualizar mais fotos, acessar a página oficial da Prefeitura Municipal de Custódia no Facebook: AQUI