20 de maio de 2013

Pedro Pereira da Silva - O Poeta


Pedro Pereira da Silva Filho, também conhecido como o “Poeta”, descendente de agricultores, nasceu em 30 de julho de 1966, no Sítio Serrinha, município de Custódia, Estado de Pernambuco. Sua infância foi tranqüila na zona rural e após as primeiras séries do primário veio para cidade onde concluiu o ensino médio, passando a conviver com escritores de cordel e cantadores de repente.

Filho de Pedro Pereira da Silva e Maria do Carmo Santos da Silva, ambos, agricultores alfabetizados, pais de 16 filhos, sendo Pereira Filho, o primogênito dos homens.

O jovem poeta, desde cedo, adquiriu apreço pela terra, aprendeu a amar a natureza, sua primeira musa inspiradora. Inspirado nos poetas românticos: Cassimiro de Abreu e Castro Alves; Pereira da Silva além de cantar e contar a natureza canta também o amor.

Pereira da Silva, sempre soube valorizar sua cultura, seus costumes, seus hábitos, conforme demonstrado em suas obras. Como todo jovem que não se prende as dificuldades, sonhou algo melhor para sua vida, chegando a ser aprovado no curso de Direito na Universidade Federal de Pernambuco, desistiu e cursou Letras na AESA-CESA, onde teve grande influência do professor Rabelo, amante da poesia popular.

Sua vida estudantil sempre foi pautada de muita disciplina e compromisso, vencendo obstáculos. Também é pós-graduado em Letras pela AESA-CESA.

A propósito, Pereira queria mesmo era ser poeta. Quando saiu seus primeiros versos num modesto trabalho, de sua escola, ficou conhecido como “o poeta”, demonstrando que sua vida sempre esteve de certa forma ligada a literatura.

Por meio de suas habilidades, o custodiense, como todo nordestino, não deixa de sonhar, e, em busca desse sonho produz uma literatura que conta a vida cotidiana da nossa gente, valorizando assim a cultura local.

Estudar a vida dessas pessoas é uma das maneiras que encontramos para manter viva os costumes de um povo que, frente às dificuldades não baixa a cabeça e nem perde a esperança. Seu estilo literário inclui poesias lírico-amorosas; religiosas; social e épica, fazendo do mesmo um escritor eclético.

O escritor, Pedro, tem as seguintes obras poéticas publicadas: Um Infinito de Amor; Ame para Viver e Viva para o Amor; Dinha: “A Única Mulher que Amei e Amarei por Toda a Vida”; Etiquetas e Dicas Sexuais, cuja publicação ocorreu em ordem seqüencial segundo a nossa escrita.

O sertanejo valente
Não foge da sua luta;
Ainda que a labuta
Se prolongue arduamente;
Este caboclo condolente
Enfrenta chuva e mormaço:
Firme no pulso do braço…
Desconhece o capelo…
É fino quanto cabelo,
É forte quanto o fio de aço.

(*) Material cedido gentilmente por Fernando José Amaral, usado em seu TCC na AESA-CESA em Arcoverde. Por favor, quem usar o material, por gentileza, citar o autor do trabalho. Grato.


Nenhum comentário:

Postar um comentário