30 de julho de 2014

História de Custódia


O dominio do atual território onde se situa o municipio de Custódia foi feito pelo Coronel Luiz de Melo (Dodô), no século XVIII, este território, antes habitado por índios das aldeias de Serra Negra, começou a ser explorado pela localidade de Quitimbu. Em 1909, Quitimbu formava um núcleo de relativa importância chegando a ser sede de Distrito de Alagoa de Baixo, hoje Sertânia, conforme Lei Estadual nº 991, de 01 julho de 1909. Algum tempo depois, os senhores Manoel Alves de Siqueira, Serapião Domingos de Rezende, José Florêncio da Silva, José de Moura Leite, Manoel Alves de Siqueira, Joaquim Pereira de Sá, Antônio Alves de Góis Melo e o Tenente Antonio José de Moura, se instalaram em local próximo ao distrito atraindo, assim, várias pessoas para o citado local. O primeiro nome dado a este local foi de Fazenda Santa Cruz.


Neste mesmo local também se instalou uma hospedaria, cuja proprietária chamava-se Dona Custódia. Após algum tempo, chegaram a localidade os padres jesuítas Ibiapino e Agostiniano, que vinham fugindo de uma perseguição política e foram acolhidos pelos habitantes que resolveram construir uma capela e a dedicaram a São José.

Os habitantes se reuniram a fim de escolher outro nome para a localidade, que até então, chamava-se Fazenda Santa Cruz, quando decidiram pelo nome de Custódia, que significa proteção, prisão, em referência aos jesuítas e também uma homenagem a Dona Custódia.

O crescimento rápido da localidade deveu-se a sua localização, pois, era passagem de tropeiros e viajantes vindos de Serra da Baixa Verde (Triunfo), Vila Bela (Serra Talhada), Alagoa de Baixo (Sertânia) e Olho D’agua dos Bredos (Arcoverde) favorecendo o aparecimento de pessoas de outras localidades para habitar no povoado de Custódia. Foram-se erguendo latadas e depois pequenos hoteis, onde se serviam café e almoço. O povoado de Custódia se desenvolveu de tal forma que pela Lei Municipal de 15 de outubro de 1909 foi elevado a categoria de Vila. Os fazendeiros mais abastados ergueram casas na vila para virem aos domingos para a missa e para fazer compras aos tropeiros. Custódia nasceu das feiras livres, feiras que até os dias atuais são respeitadas, por sua grandeza e diversidade de produtos, em toda região e pelos que aqui negociam. José Estrela de Souza manteve uma fábrica de tanino, da casca do angico, para fins farmacêuticos. José de Moura Leite era negociante de miçangas. Aureliano Simplício de Góis e seus filhos Sebastião e Domingos Góis, constuíram o maior empório comercial de tecidos, estivas e ferragens da região.

Antonio José de Moura (Tenente Moura), José de Siqueira Barbosa e Antonio Umbuzeiro, doaram o terreno em que hoje consta a paróquia de São José e a Praça Padre Leão. Em 1920 o padre italiano Leão Pedro Verseri começou, com recursos de donativos e próprios, a construção da atual matriz de São José, porém, morreu pobre na enfermaria do Hospital Santo Amaro, em princípios de 1935, no Recife, sem ver seu sonho realizado. A igreja for terminada por Padre Duarte, no ano de 1944, com total ajuda dos donos das usinas de caroá, Vasconcelos & Cia.

O primeiro professor foi Valfrido Barbosa (1921), depois Simplicio Nunes Duarte e Dona Bela Padilha. Ainda na década de vinte surgiu à professora Dona Maria Augusta do Amaral e Sá (Dona Manoca).

A luz elétrica, movida a motor, chegou em Custódia em 1939, no governo de Ernesto Queiroz. Joel Inocêncio foi o primeiro construtor da Praça Padre Leão, depois calçada por Luiz Epaminondas. Adauto Pereira fez funcionar a primeira Biblioteca Municipal.

Na divisão administrativa de 1911, Custódia figurava como distrito de Alagoa de Baixo, em 1916, seus habitantes ansiosos em tornar a vila independente, aproveitaram a visita do governador Dr. Manoel Borba, prestando-lhe significativa homenagem e pedindo autonomia da vila, que só veio com 12 anos depois. A vila de Custódia passou a ser cidade através da Lei Estadual nº 1931, de 11 de setembro de 1928. Atualmente, o municipio é formado por 3 ( três) Distritos – 1º Sede, Custódia – 2º Quitimbu e 3º Maravila e povoados de Samambaia, Caiçara,Ingá, Bom Nome (DNOCS- Perímetro Irrigado) e por mais de 100 (cem) sítios.

Fonte:

Texto da antiga Biblioteca Municipal, hoje disponível no site do IBGE, de autoria desconhecida.

12 comentários:

  1. HISTORIA DE CUSTÓDIA - HISTORIA DO CARVALHO Com a morte de seu pai Maria do Ó de Siqueira herda as terras, a partir daí começa a vender e uma boa parte das terras ela doa para o padroeiro São José da Fazenda Santa Cruz, onde hoje é Custódia. (Trecho Historia do Carvalho.)
    Antonio José de Moura (Tenente Moura), José de Siqueira Barbosa e Antonio Umbuzeiro, doaram o terreno em que hoje consta a paróquia de São José e a Praça Padre Leão.(Trecho Historia de Custódia.) Maria do Ó de Siqueira e José de Siqueira Barbosa, devem ser parentes bem próximo praticamente foram doadas as mesmas terras pelos does, meu pai conta que Zé Dodô falecido e sepultado em Brasilia também doou terras para a igreja. Lendo as duas Historias varias vezes vejo que são bem parecidas e que a familia Siqueira foi muito importante para Custódia ou ainda é, o meu pai Estácio Siqueira esta ai para revelar maiS Historias sobre Custódia e entorno de Custódia.Luiz G de Siqueira Amaral Brasilia DF.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é parente de Pacifico Lopes de Siqueira que foi morto na fazenda Umburanas em 1925 pelo bando de Lampião?

      Excluir
  2. está original - Custódia, cresceu, denominou alguns bairros: antigo matadouro hoje é Nossa Senhora de Lourdes, antigo Mutirão hoje se chama Miguel Arraes de Alencar.

    ResponderExcluir
  3. Oi meu nome é Elida morro em recife mais minha família é de custodia, essa cidade maravilhosa que quando eu vou aos feriados eu amor tá com minha família. Estou planejando chegar a custodia no carnaval de 2013 se deus quiser. Beijos para todos e ate breve

    ResponderExcluir
  4. FAMÍLIA AMARAL EM CUSTÓDIA.

    ResponderExcluir
  5. Lúcia Barros, saudades de Custódia, terra querida onde passei boa parte de minha infância. Sou neta de José Pieta Ventura (fazenda da Lajes) e de Manoel Barros Fernandes (fazenda do Papagaio)

    ResponderExcluir
  6. Sou natural de QUITIMBU, mas me sinto orgulhoso em dizer: sou de CUSTÓDIA. Sou neto de OSORIO VALERIANO da fazenda MATA GRANDE, em QUITIMBU. Eu so queria saber onde meu avô foi buscar esse sobrenome tão ilustre. Meu nome Luiz Gonzaga Valeriano, 74 anos.

    ResponderExcluir
  7. Este texto apócrifo, divulgado pelo IBGE sobre a origem da nossa cidade, tem erros crassos. A história de Custódia tem que ser pesquisada. Sempre digo que a minha cidade tem crise de identidade. Para as duas versões da origem do seu nome, não existe nenhum embasamento documental. Prova nenhuma da existência de uma senhora por nome de Dona Custódia. Também, a versão desses dois jesuítas perseguidos e fugidos, se instalarem logo em um local onde circulavam levas de tropeiros, tangerinos de gado, mascates e almocreves, é bastante improvável. Custódia como sinônimo de guarda, proteção, não era um termo comum, não se utilizava esse termo. Impossível massificar uma palavra que a população nem sabia o que era, dando nome ao povoado. Estou interessado em desvendar esse segredo. Jorge Remnígio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente os dados históricos das cidades publicados pelo IBGE são repletos de erros.

      Excluir
    2. IDEM (AMERICANA-SP), HISTÓRIA (FUNDE-SE), COM:- http://oespiritodolugar.blogspot.com.br/p/bairro-carioba.html... Nossas (Famílias:- Abade (Calábria Itália-Mãe) & (Famílias :- Gutierrez Granada Espanha), ambos:- Foram (trazidos) Comendador Franz Mullehr Carioba & Esposa:- Ms. Comendadora Albertina Mullehr Carioba... Com a administração do Comendador, baseada no estilo europeu, foi criada diversas oportunidades de emprego, principalmente para imigrantes, de lazer, educação e diversidade cultural. Logo em 1907, Franz adquire a Fazenda Salto Grande , onde ele constrói uma Usina Hidrelétrica no rio Atibaia. Em 1911, a usina já era capaz de fornecer energia para o Carioba, Americana, Santa Bárbara D’Oeste, Cosmópolis e Rebouças (hoje conhecida como Sumaré). Porém, com a grande crise de 1929, a Cia. Paulista De Força e Luz planejava construir uma usina de maior capacidade para interligar a energia às redes estaduais. Os planos se cumprem e a CPFL adquire a pequena usina de Salto Grande e a amplia.

      Com o objetivo de ter energia própria mais uma vez, em 1934, Müller constrói a Usina de Carioba. Nessa época, o volume de água do ribeirão Quilombo era suficiente para movimentar as fábricas e o bairro, porém, com o progresso industrial e residencial e a poluição do Ribeirão, a Usina de Carioba chegou ao ponto de se tornar inviável. Hoje ela ainda existe e é aberta para visitação.

      Excluir
  8. Custódia também era o nome de uma tia da esposa de Coronel Dodô. Esse era casado com Francisca Laudelina de Campos Góes, essa era filha de Francisca Barbosa de Campos irma de Custodia Maria Osório de Campos. Custódia era a primeira filha do portugues Manuel Jose de Campos e Tereza Firmiana da Fonseca Aragão. Era também irmão de Custódia, o escritor pernambucano monsenhor Pinto de Campos do qual era também madrinha. Será que o nome de custódia não tem a ver com essa moça chamada Custódia?

    ResponderExcluir
  9. EIS AÍ A EXPLICAÇÃO MAIS EVIDENETE DA ORIGEM DO NOME ''CUSTODIA' '

    ResponderExcluir