13 de julho de 2016

Pernambuco registra sete novos óbitos por chikungunya e dengue


Em uma semana, Pernambuco registrou sete novos óbitos causados por dengue e chikungunya. Os dados foram revelados pelo novo boletim semanal sobre arboviroses divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), neste terça-feira (12). Agora já são 33 as mortes causadas por arboviroses em 2016, 26 delas por chilungunya e sete por dengue. Até o momento, 280 óbitos foram notificados e aguardam confirmação laboratorial.

As mortes por chikungunya aconteceram em Camaragibe (1), Igarassu (1), Jaboatão dos Guararapes (5), João Alfredo (1), Nazaré da Mata (1), Paulista (1), Recife (12), Timbaúba (2), Toritama (1) e Vitória de Santo Antão (1). Já os óbitos causados por dengue foram registrados em Caruaru (1), Jaboatão dos Guararapes (1), João Alfredo (1), Olinda (1), Timbaúba (1), Venturosa (1) e no Recife (1).

No mesmo período, Pernambuco registrou 3.542 novas notificações e 2.675 novas confirmações de casos de dengue, zika e chukingunya, doenças provocadas peloAedes aegypti. De acordo com boletim, as arboviroses já somam 139.387 notificações e 33.396 confirmações, de 3 de janeiro até o último sábado (09).

Dentro das estatísticas desta semana, a chikungunya lidera os números. Ao todo, foram 1.796 novas notificações isoladas da doença em apenas uma semana. Em relação à dengue e à zika, o número de novas notificações é de 1.702 e 54, respectivamente. Ao todo, foram confirmados 1.761 casos de chikungunya desde a última semana. Para a dengue, houve 911 novas confirmações. Para a zika, foram apenas três casos confirmados a mais.

Ainda de acordo com o documento, Pernambuco já soma 24.496 casos descartados de dengue, 10.416 de chikungunya e outros 421 de zika.

Microcefalia
Desde 1º de agosto do ano passado até o último sábado (9), 2048 casos de microcefalia foram notificados no Estado. Desse total, 918 atendem aos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a malformação congênita. O número de confirmações permanece em 369, mesma estatística divulgada na semana anterior e o de descartados em 1.172. Os demais ainda estão sob investigação.

O número de óbitos também permanece o mesmo da semana anterior: ao todo, foram contabilizados 76 óbitos de bebês com microcefalia, sendo 39 natimortos e 37 neomortos. Segundo a SES, nenhum dos casos teve a malformação como causa básica de morte.

Em relação às gestantes com exantemas, o Estado já notificou 4.392 mulheres grávidas com manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sintoma das três arboviroses. A pasta, no entanto, esclarece que as marcas não significam necessariamente a confirmação de uma das três doenças. Houve, ainda, 29 confirmações de casos de microcefalia intra-útero. (G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário