4 de abril de 2016

Recife: mães de filhos com microcefalia farão faculdade


Através da parceria entre o Grupo Ser Educacional e a ONG Amar (Aliança das Mães e Famílias Raras), as mães que têm filhos com microcefalia e outras doenças que exijam dedicação exclusiva terão direito à bolsas em cursos de graduação e especialização via EAD (educação a distância). De acordo com informações da Folha de S. Paulo, o nome do Projeto é Mães Produtivas e abrange oito Estados.O primeiro lugar a iniciar o projeto é Pernambuco, com 15 bolsas. O motivo é a alta incidência de microcefalia (1.829 casos foram notificados entre agosto de 2015 e 26 de março), 50% das vagas foram destinadas a mães indicadas pela Amar, cujos filhos têm a má-formação.

As mulheres vão poder estudar em casa com videoaulas, fóruns de discussões e avaliações virtuais -com acesso até pelo celular. "Quero me formar e dar melhores condições ao meu filho. Também espero me especializar no cuidado de bebês com deficiência que precisam de uma alimentação específica", disse Isadora, mãe de Mauro, que tem microcefalia.

Serão ofertados 7 cursos, como administração, engenharia civil e pedagogia, que duram entre dois e cinco anos. A recomendação é que as alunas dediquem de 8 a 12 horas semanais aos estudos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário