23 de março de 2016

Vai chover menos em Pernambuco

Barragem de Botafogo está com apenas 18,42% da capacidade de armazenamento. Foto: Google/ Reprodução/ Internet

Os meses mais chuvosos no Sertão são janeiro, fevereiro, março e abril, diferentemente do que acontece na Região Metropolitana do Recife e na Zona da Mata, quando a chuva é mais presente entre abril e julho, com destaque para o mês de junho. De forma geral, março é o mês que mais chove no Sertão. “Em janeiro, o Sertão registrou chuva acima da média, mas um mês não caracteriza um ano chuvoso. A média histórica no Sertão nos quatro meses é de 402 mm. Até agora choveu 257 mm. Ou seja, as precipitações estão abaixo da média e a perspectiva é de nem alcançar a média. Março, inclusive, foi o mês que menos choveu na região”, destacou o meteorologista Romilson Ferreira, da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac).

Com previsão de chuvas abaixo do esperado, as temperaturas deverão ficar altas, principalmente no período da tarde no Sertão e no Agreste. Outra previsão são os chamados veranicos, ou seja, dez dias consecutivos sem chuva, além da possibilidade de chuvas moderadas a forte, concentradas em poucas horas, principalmente no litoral e na Zona da Mata.

De acordo com o boletim da 1ª Reunião de Análise e Previsão Climática para o Setor Leste do Nordeste do Brasil, as chuvas observadas no último mês de fevereiro concentraram-se em poucos dias e foram provocadas pela associação do Vórtice Ciclônico (área onde os ventos nos níveis mais altos da atmosfera giram no sentido horário, fazendo com que o ar seco desses níveis mais altos desçam para a superfície ) com a incursão da Zona de Convergência Intertropical (área onde os ventos originários dos hemisférios Norte e Sul se encontram).

Represas

Quanto ao volume das principais barragens, Pirapama está com 100% de sua capacidade, enquanto Tapacurá está com 56,7% e Botafogo, 18,42%. A Compesa informou que o volume permitirá chegar ao inverno com tranquilidade e sem anúncio de ampliação do racionamento de água.

Nenhum comentário:

Postar um comentário