18 de fevereiro de 2016

[Denúncia] CREAS Regionais do estado de Pernambuco gritam por SOCORRO!


A Assistência Social – reconhecida como política pública a partir da Constituição de 1988, é direito do cidadão e dever do estado e deve ser destinada a todo e qualquer cidadão que dela necessite.

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS, é um serviço público voltado ao atendimento especializado ao indivíduo e família que se encontra em situação de risco pessoal e/ou social (violência física, sexual, psicólogica, negligência, abuso e exploração sexual, etc).

A partir de 2009, o estado de Pernambuco implantou os CREAS Regionais com o intuito de atender as demandas de violações de direitos dos municípios que não possuem o serviço especializado, bem como fortalecer os CREAS Municipais e a Política de Assistência Social nas regiões, além de desenvolver ações e campanhas a nível regional. O estado de Pernambuco conta hoje com 13 CREAS Regionais distribuídos nas 12 regiões de desenvolvimento, do litoral ao sertão (Metropolitana Norte - Paulista, Metropolitana Sul – São Lourenço da Mata, Mata Norte - Vicência, Mata Sul - Palmares, Agreste Central - Caruaru, Agreste Setentrional – Bom Jardim, Agreste Meridional - Garanhuns, Sertão Do Moxotó - Ibimirim, Sertão Central - Salgueiro, Sertão do Pajeú – Afogados da Ingazeira, Sertão do Itaparica - Petrolândia, Sertão do Araripe - Ouricuri e Sertão do São Francisco - Petrolina).

Desde meados de junho de 2015, com a crise econômica e política do país, este serviço indispensável a população vem passando por inúmeras dificuldades. O atraso no repasse de recursos do estado para a executora dos CREAS (CERCAP), implicou na precarização da oferta dos serviços, diminuição da equipe técnica que hoje conta apenas com coordenação, assistente social, psicólogo, técnico social de campo, atraso salarial e desde outubro de 2015, CINCO dos TREZE CREAS estão sem veículo para realização de ações e visitas aos municípios.

Em fevereiro de 2016, após quase QUATRO meses de atraso salarial e ausência de estrutura mínima para funcionamento do serviço, houve a paralisação das atividades até que a situação se regularize. Com o fechamento, mesmo que provisório das unidades, a população que necessita do atendimento deste serviço ficará descoberta e a violência do estado tenderá a aumentar uma vez que o CREAS Regional é o único serviço do governo com 100% de cobertura no estado.

por Augusta dos Anjos Silva - gutadosanjos@outlook.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário