15 de janeiro de 2016

Pela primeira vez, Brasil confirma três mortes por chicungunha


Estados e municípios precisam potencializar as medidas de combate ao Aedes aegypti para evitar a transmissão de dengue, chicungunha e zika (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

Em 2015, foram registrados 20.661 casos de chicungunha no Brasil. Desse total, 7.823 casos foram confirmados. Os outros 10.420 estão em investigação. Além disso, pela primeira vez no País, foram confirmadas três mortes por chicungunha, sendo duas na Bahia e uma em Sergipe. As três vítimas eram idosas (85, 83 e 75 anos) e apresentavam histórico de doenças crônicas. As informações e os dados foram divulgados, nesta sexta-feira (15), pelo Ministério da Saúde.

Atualmente, 84 municípios de 11 Estados no Brasil estão com transmissão autóctone (circulação) do vírus chicungunha. Em Pernambuco, por exemplo, ao longo do ano de 2015, foram notificados 2.605 casos suspeitos de chicungunha, sendo 450 confirmados. Já foram descartados 589 casos. Entre eles, 150 positivaram para dengue.

As medidas de prevenção para a doença são as mesmas já adotadas para a dengue e se resumem em evitar o acúmulo de água parada. A principal diferença nos sintomas das duas doenças é que, na chicungunha, a dor articular surge em 70% a 100% dos casos, é intensa e afeta principalmente pés e mãos.
“A chicungunha pode descompensar as doenças de base, como diabetes e problemas cardíacos, principalmente nos idosos, que representam um grupo de risco de agravamentos por chicungunha”, explica o clínico geral Carlos Brito, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Arte de cuidados para chicungunha

Testes rápidos de Zika, dengue e chikungunya serão distribuídos em fevereiro

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, anunciou nesta sexta-feira que kits para testes rápidos de detecção do vírus Zika, da febre chikungunya e da dengue serão distribuídos para laboratórios de todo o país em fevereiro.

“Nós vamos, provavelmente, distribuir agora em fevereiro. Com esse kit, a pessoa vai tirar o sangue e vai saber imediatamente se está com dengue, chikungunya ou com Zika”, disse o ministro após visita ao Instituto Butantan, em São Paulo. As três doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. 

O kit foi desenvolvido pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), uma das unidades da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ligada ao Ministério da Saúde. Castro não deu detalhes sobre quais laboratórios receberão o material.

“Vamos distribuir os testes que forem necessários para que esse diagnóstico seja feito. Não faltarão recursos no Ministério da Saúde para o combate à microcefalia”, ressaltou, em referência à malformação, que está relacionada à ocorrência do vírus Zika em grávidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário