02 outubro, 2015

[Entrevista] Pastor/PM/Atleta Charley Fabrício de Oliveira


Blog Custódia Terra Querida - Pastor Charley, inicialmente gostaria que você se apresentasse aos nossos internautas.

R- Sou Charley Fabrício De Oliveira, sou filho de Carlos Francisco de Oliveira - Carlos China (foi gerente no Banco do Brasil em Custódia nos anos de 91-95) e Zilma Enoque de Oliveira. Sou natural de Afogados da Ingazeira, mas fui criado em Salgueiro, passei a adolescência em Custódia. Sou policial militar há 17 anos. Pastor a 4 anos na Igreja Presbiteriana do Brasil de Custodia. Lutador de jiu jitsu, faixa roxa a 12 anos. Licenciado em Letras, Contabilidade e Bacharel em Teologia e Pós graduado em Ciências da Religião. Sou casado com Letícia Gondim tenho quatro filhos: Christian, Lívia, Davi e Laura... esperando o quinto filho. Sendo os três últimos com Letícia. Sou capelão hospitalar e escolar desde 2012.


BCTQ - Sendo criado em Custódia em sua adolescência, qual comparação você faz da sua época para a de agora, o que mudou nos jovens.

R - Voltei a Custódia no final de 2011 (após 11 anos fora) para assumir o trabalho da Igreja Presbiteriano em Custódia. Tenho feito um trabalho de resgate de jovens através do jiu jitsu e da fé em Jesus Cristo. Custódia naquela época era uma cidade onde os jovens brincavam nas ruas, não existia drogas, pelo menos não tínhamos acesso, nem precisávamos, éramos jovens que curtíamos sem a necessidade de estimulantes.

 

BCTQ - Por ser Militar, Pastor e atleta de Jiu-Jitsu, como administra três funções que exigem bastante da disciplina, foi intencional ou ocasional.

R - Foi acontecendo mas hoje em dia são complementares. Já exerci a função de PM na Igreja e de lutador na PM e de Pastor na PM e na academia. Sou hiperativo e sempre senti a necessidade de conhecer e buscar conhecimentos diversos.


BCTQ - O Trabalho realizado pelo Jiu Jitsu atualmente, é certamente, o maior destaque no amadorismo em Custódia. Qual história você pode descrever dessa trajetória vitoriosa desta esporte com os jovens locais.

R - O jiu jitsu chegou em Custódia a pouco mais de sete anos com o atleta Klebson Alves(da Studio Digital) e através dele, o mestre Leandson Soares se apaixonou pelo esporte, começando com vários alunos treinos e mais treinos. Foram anos duros. O faixa preta é o mestre Gesse de Arcoverde e por coincidência é meu primo. Quando chegamos em 2011 vimos que poderíamos somar com aquele projeto de vida. Filosofia que tem como principal conceito a disciplina e uma conduta exemplar na sociedade. Somando nossa força e em maior escalar a partir de 2013 com o pastor Jaime da Igreja Batista, fizemos essa parceria de sucesso. Mestre Leadson Soares com o ensino das técnicas, e o pastor Jaime e eu com a disciplina e a parte espiritual. Somos parceiros do PETI e do CONSELHO TUTELAR que nos enviam jovens que são considerados de risco e já obtivemos muito êxito na vida de dezenas desses. Temos um trabalho de resgate, quando sabemos de crianças problemáticas vamos e fazemos a "conquista" dessas para a nossa arte suave. Hoje muitos são campeões pernambucanos e brasileiros, pan-americano, sul americano e até mundial. Um orgulho para nossa cidade, uma fábrica de guerreiros.

BCTQ - De qual apoio o jiu jitsu local ainda necessita, tanto da iniciativa privada, como dos poderes constituídos, comércio e população de um modo geral.

R - Nosso desafio maior como equipe é conseguir pagar as inscrições dos atletas que na maioria são patrocinados pela família. A prefeitura de Custódia nos ajuda com o transporte e existem algumas empresas que também tem dado individualmente a alguns atletas auxílio para tais campeonato. Gostaríamos que os empresários e o comércio investisse na vida de mais e mais jovens. Comprando kimonos por exemplo. Temos um projeto chamado adote um aluno, onde qualquer pessoa pode adotar um atleta e se compromete com um valor mensal (a partir de 50 reais) para ajudar uma criança ou adolescente. Isso pode ser deduzido no imposto de renda, possuímos CNPJ e como sendo um projeto social precisamos de todos aqueles que podem e querem ver uma juventude melhor, e ordeira.

BCTQ - Fora do esporte, o que diz do momento atual de nossa cidade, o que mais lhe inquieta. 

R - Nosso país vive uma crise tremenda, percebo que na nossa amada Custódia existem alguns problemas mas a maioria das pessoas não estão preocupadas com melhorias e avanços na estrutura e na vida dos nossos munícipes como um todo. Muitos reclamam, mas poucos se envolvem e participam das decisões e mesmo quando temos condições de participar de ações públicas nos esquivamos e preferimos desconstruir a querer soluções que não seja politiqueiras. Custódia é uma cidade muito política, infelizmente não temos maturidade para fazer valer o direito individual e coletivo das pessoas pois ou nos omitimos silenciando em meio as coisas que não estão funcionando ou simplesmente criticamos por criticar e dificilmente vejo pessoas querendo o melhor para nossa cidade independente de quem seja os gestores.

BCTQ - Perfeito. Como Pastor, em que a Religião pode auxiliar num crescimento coletivo para a população.

R - A religião tem o objetivo de religar o homem a Deus. Quem tem o temor de Deus ama ao próximo. Infelizmente há aqueles que são manipulados por doutrinas e se tornam fanáticos. O diabo vive nos extremos. Temos que ser religiosos e mais ainda sermos gente coerentes com os ensinamentos de Cristo de amar incondicionalmente. Isso nos fará uma sociedade mais justa e acolhedora. Religiosidade com vida e não de aparência ou fingimento, temos que ter conteúdo e não só ter uma embalagem bonita e as atitudes podres e más.


BCTQCustodia vive um momento de tensão, com diversos jovens nas drogas, assaltos a mão armada e a residências. Como militar, o que ta faltando para uma diminuição da criminalidade na cidade.

R - Uma polícia mais atuante, o efetivo da PM é muito pequeno pra comportar a nossa cidade. Na maioria das vezes são dois PM's por viatura. Sem nenhuma condição e estrutura pra executar um bom serviço. Sem falar na cobrança e tensão que vivemos diariamente no cumprimento de metas e redução da criminalidade. Muitos PM's hoje estão estressados, doentes e muito desmotivados. Minha igreja foi assaltada esses dias. A população precisa ajudar a policia denunciando. É impossível que ninguém está vendo esses bandidos desfilando por aí. Mais policiais e mais viaturas e condições mais dignas para o efetivo faria muita diferença. Em Serra Talhada no 14° BPM, onde trabalho como PM, disponibilizamos um whatsapp para denúncias e isso ta dando resultado. A PM chega mais rápido nas ocorrências. O problema das drogas só se resolve com politicas publicas e principalmente com a família. Dentro de casa, cuidando dos nossos, educando, sendo exemplo, direcionando o caminho aos jovens.

BCTQ - Obrigado PR. Charley por essa entrevista, espero que nossa população leia e reflita suas colocações. Fique à vontade para deixar uma mensagem aos nossos leitores.

R - Quero agradecer a oportunidade de poder falar a todos os leitores e desejo do fundo do meu coração que sejamos mais atuantes e presentes na vida da nossa cidade e que mais ainda sejamos exemplo pra nova geração. A evolução só funciona se ela iniciar primeiro dentro de nós mesmo. Que possamos buscar o nosso bem viver e acima de tudo que nossas ações práticas redundem em bênção nas nossas vidas e de todos. Que Deus nos ajude a seguir o exemplo de vida de Cristo, amando e sendo obediente a Sua vontade. Que ele nos abençoe hoje e sempre, amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário